Sushic: do Chiado para Belém

Um mês, duas aberturas. A marca está agora presente no Palácio do Chiado e no Altis Belém. Dois espaços, dois conceitos, a mesma qualidade.

20160404_Sushic_Palacio_JS-1153_baixa-e1464620076296A partir de agora, é possível encontrar a gastronomia do Sushic em quatro locais diferentes. O restaurante em Almada, no Mercado de Algés, e nos “fresquinhos” Palácio do Chiado (com o Sushic Chiado) e no Altis Belém. Mas há mais novidades para além de duas aberturas quase em simultâneo. A opção é a de ter conceitos diferentes, mas sempre com a mesma base: uma gastronomia asiática (assente na comida japonesa) mas sempre com uma portugalidade bem presente, que se nota nos ingredientes e técnicas utilizadas. E isto é algo que vai ficar ainda mais vincado, fruto da entrada do chef Pedro Resende Pereira.

Foto: Alexandra Costa

Foto: Alexandra Costa

O Sushic Chiado, com um ambiente mais calmo e acolhedor, que permite fazer uma refeição com privacidade e tranquilidade (sala árabe), tem esta semana uma carta nova. Além disso, está também a ser pensado um menu executivo, cujo valor deverá rondar os 20 euros, e ainda vários pratos que serão preparados exclusivamente para aquele espaço e para aquela hora do dia.

 

Foto: Alexandra Costa

Foto: Alexandra Costa

Já no Altis Belém, a aposta passa essencialmente pela apresentação de produtos frescos. É o caso dos ceviches (para já existem seis variedades), das ostras e do sushi. Entre as várias ofertas, destaque para as inovadoras, as que apresentam contraste de sabor e de texturas. Um exemplo? O ceviche mexicano, com atum, guacamole, coentros, nachos e wasabi. Ou o “sopa de tomate alentejana” com skrei, tomate, pepino, cebola, crocante de folha de arroz e queijo de ovelha dop alentejano. Para os mais aventureiros… a escolha recai no Ink. Um prato onde a cor negra impera, constituído por lulas, tomate confitado, coentros, sagu e tempura negra de choco. Pode parecer estranho mas garanto que sabe muito bem. E depois… depois há o ceviche mar, que sobressai pelo facto de ser feito à base de ostras, vieiras, alha wakame, cornichons e espuma spice. Basicamente, é possível fazer uma refeição (e terminar satisfeito) apenas de ceviches. Se tem dúvidas, apenas tem de se deslocar até ao Altis Belém e tirar a prova dos nove.

Foto: Alexandra Costa

Foto: Alexandra Costa

Já no Palácio do Chiado, a aposta vai para “refeições mais compostas”. As pessoas ficam mais tempo à mesa, seja para apreciar o espaço e/ou a comida. E há-a para todos os gostos. Uma dica: seja o for que escolha, não deixe de experimentar o carpaccio de barriga de atum com trufa, um prato que tem conquistado a ovação de todos os que o experimentam.

 

 

Foto: Alexandra Costa

Foto: Alexandra Costa

A abertura destes dois espaços trouxe também algumas alterações para o restaurante em Almada. Este ainda é o ponto central de toda a operação, dado que o peixe é, todo ele, tratado lá. Há toda uma equipa especializada e dedicada a esta tarefa. É a única forma, por enquanto, de garantir que, independentemente do espaço, a qualidade servida é a mesma. Mas, a partir de agora, o Sushic Almada ganha uma nova vida. Vai passar a ser uma espécie de laboratório. A ideia é, todos os dias, apresentar novos pratos. Será ali que serão feitas todas as experiências em termos de inovação e criatividade. E é nessa linha que se pretende ter uma carta que vá beber a outras gastronomias mas sem nunca perder a base asiática e a portuguesa (e apresentando sempre o ceviche como produto estrela).

Por Alexandra Costa/OJE

Anúncios