Sons de Vez de regresso a Arcos de Valdevez

Promover a música moderna portuguesa é o objectivo do festival que vai na 14ª edição.

Sons de Vez

Esta sexta feira, dia 12 de Fevereiro, David Fonseca sobe ao palco do Festival Sons de Vez. O concerto está agendado para as 23 horas, na Casa das Artes de Arcos de Valdez, com os bilhetes a custarem 13 euros. Uma oportunidade de ver e ouvir o artista a cantar aquele que é o seu primeiro trabalho totalmente em português – Futuro eu. Entre as várias músicas esperadas estão temas como “Chama-me eu que vou” ou “Hoje eu não sou”. Um espectáculo que conjuga intimismo com alegria (e algum dramatismo) e que promete igualmente uma novidade a nível cénico.

Mas há mais e boas novidades no programa daquela que é a 14ª edição do Festival Sons de Vez. Afinal o evento só termina a 19 de Março. Todos os fins de semana o auditório da Casa das Artes de Arcos de Valdevez recebe novos concertos.

No dia 19 de Fevereiro, por exemplo, o palco será repartido por dois talentos nacionais – os Wildfire que trazem de Viana do Castelo o recém-editado disco de estreia “Sahara Tides”, e os Serushiô. O duo, dedicado aos blues, tem no portfólio dois álbuns de estúdio e um EP, assim como um convite para actuar, em 2015, no Canadian Musix Week de Toronto.

Fevereiro termina com A Jigsaw & The Great Moonshiners Band e Emmy Curl. Para quem não conhece, a dupla A Jigsaw foi comparada pela francesa Les Inrockuptibles a nomes como Tom Waits ou Leonard Cohen. A razão? Porque mesclam o folk, o blues e a literatura. No próximo dia 26 de Fevereiro apresentarão o disco “No true magic”. Já Emmy Curl nasceu e foi criada no mundo artístico. Compôs o primeiro tema com apenas quinze anos, e actualmente é considerada como sendo uma promissora artista da pop nacional independente.

Março começa com Marta Ren, uma referência do mundo do soul e funk. A cantora do Porto actua no dia 5 de Março com com os The Groovelvets, na apresentação do seu novo trabalho discográfico. Um pouco antes, no mesmo dia, sobe ao palco Denise, que irá promover o seu EP de estreia – Angorá. Um trabalho, em português, onde a musicalidade da soul funde-se com o boom bap do hip-hop.

Na semana seguinte, a 12 de Março, há mais dois concertos. Primeiro os Malaboos, que apresentarão o seu EP de estreia, num concerto de rock alternativo. Segue-se Mazgani, cantor e compositor de origem iraniana, que trará ao Sons de Vez o último trabalho de originais – Lifeboat.

O festival termina, a 19 de Março, com o concerto de Ladrões do Tempo que serão antecedidos pelos Tuff Gum. Um final em grande ou não fossem os Ladrões do Tempo constituídos por nomes bem conhecidos do rock n’ rol português: Zé Pedro dos Xutos & Pontapés, Tó Trips dos Dead Combo, Samuel Palitos dos GNR e A Naifa, Paulo Franco dos Dapunksportif e Donovan Bettencourt dos Dead Cats Dead Rats. Na calha a apresentação do “1º Assalto” um álbum com nove canções de filiação rock, que conta com a composição repartida de quase todos os membros do grupo.

facebook.com/sonsdevez

Por Alexandra Costa/OJE

Artigo publicado a 12/02/2016

Anúncios