Requinte e imponência no Petit Palais

É a mais recente aposta de Olivier, que optou pelo segmento de topo. Uma casa luxuosa, a lembrar a opulência de tempos idos e uma ementa a combinar.

A expectativa era grande. Não só pela pessoa que está por detrás do projeto, mas também pela localização. Um antigo palacete, junto à mais luxuosa rua de Lisboa: a Avenida da Liberdade.

A diferença começa mesmo antes de se entrar no restaurante. À entrada temos direito a uma passadeira. Que em vez de vermelha é preta. Depois somos recebidos numa sala onde a decoração imponente e luxuosa, ao estilo arte deco, se destaca.

Atualmente o Petit Palais funciona apenas ao jantar, dadas as condicionantes da área envolvente. Mas, quando estas estiverem resolvidas…. Enquanto isso não acontece aproveite a calmaria noturna de Lisboa.

À entrada é-nos oferecido uma bebida. Uma espécie de boas vindas antes de a refeição propriamente dira começar. Ao olhar as ementas surge a primeira dúvida. O que escolher. As possibilidades são variadas e apelativas o que dificulta a seleção. E nesse caso nada pedir algumas sugestões.

De entre as várias entradas disponíveis há duas em que o Petit Palais se destaca: as Ostras Portuguesas e o Foie gras de pato salteado e compota de ameixa. Já nos peixes os Crêpes do mar: lavagante e camarão e o seu molho e o O tamboril do meu Pai são claramente imperdíveis. Acompanhe com um belo de um Puré de aïpo & baunilha bourbon e um Arroz pilaf com cogumelos e espargos verdes. E convém não esquecer a carne. O Petit Palais é definitivamente conhecido pelos seus bifes, nomeadamente os tártaros (e especialmente o Tártaro do wagyu e caviar) e o Lombo de novilho Wellington e molho de trufa.

Com o pecado da Gula a revelar-se deixe um espaço para degustar (pelo menos) uma das sobremesas. A especialidade Macaron com crème de lichias e framboesas ou uma mais tradicional (reinventada) Fatia dourada de brioche com gelado de baunilha. Em alternativa tem o Paris-Brest com crème de praliné ou os mais tradicionais Tarte de limão de Menton e Petit gâteau.

Antes de sair faça uma visita pelo espaço. As salas e o jardim interior merecem uma visita. E esteja atento. Porque Olivier promete novidades para breve.

As salas arte déco acompanha o requinte da gastronomia, de base francesa.

Artigo publicado a 20 de Novembro de 2015 no Oje.

Anúncios