Casa da Ínsua. O fascínio do barroco

A poucos quilómetros de Viseu a Casa da Ínsua reúne jardins luxuriosos, o sossego do campo, o fascínio da história, as cores outonais da vinha e o romantismo inerente a um antigo solar do século XVIII.

Classificado como um hotel boutique, ou de charme, a Casa da Ínsua é, simultaneamente, o local perfeito para quem quer um fim de semana a dois ou para um descanso em família. Mais do que acordar com os passarinhos é acordar com o silêncio. O saber que não há horas marcadas. E poder relaxar tranquilamente, tomar o pequeno-almoço e deliciar-se com as iguarias caseiras, como as compotas e o queijo da Serra.

A casa, um edifício senhorial construído no século XVIII por Luís de Albuquerque de Mello Pereira e Cáceres, Governador e Capitão-General de Cuibá e Mato Grosso, foi edificada no local da anterior Casa da Ínsua, erguida por João de Albuquerque e Castro, Alcaide-Mor de Sabugal. Um pedaço de história visível não só nas paredes, mas também nos vários objetos de decoração espalhados um pouco por todo o lado. E, para quem está mesmo interessado nos contos e lendas há a possibilidade de fazer uma visita guiada e aceder a espaços habitualmente fechados aos olhos dos hóspedes. A capela, o terraço e os jardins (inglês e francês) são alguns dos pontos imperdíveis. E não esquecer que, na ala antiga, cada quarto é único, em termos de decoração e história.

Se gosta de passear pode deslocar-se até Nelas e Viseu que ficam a poucos minutos. O Museu Grão Vasco é um dos pontos imperdíveis numa cidade onde imperam as rotundas e a boa comida. Se, pelo contrário, prefere descansar ou se está acompanhado de crianças deixe-se ficar pela Casa da Ínsua. Vá até ao campo e acompanhe o trabalho dos pastores ou aprenda como se fazem os queijos. A unidade tem diversos programas para miúdos e graúdos. Pelo meio não deixe de visitar o museu, de fazer uma (ou mais) prova de vinhos e de passar pela loja.

Artigo publicado a 18 de Setembro de 2015 no OJE.

Anúncios