Há novos restaurantes em Lisboa

O setor da restauração está novamente a mexer e surgiram recentemente espaços que vale a pena conhecer. Para facilitar na decisão da escolha o OJE dá uma pequena ajuda.

La Pasta Fresca
Tal como o nome indica aqui come-se “pasta fresca” ou seja a genuína pasta italiana. Ou não estivesse a casa a cargo de um casal italiano: Stefania Raiola e Giuseppe Godono. Que decidiram apresentar uma carta composta por pratos de pasta fresca, apresentados na sua receita original, específicas de diferentes regiões italianas. Basicamente ter a Itália em Lisboa. Entre as várias iguarias disponíveis destaque para as beringelas à parmigiana, os variados tipos de vegetais típicos da tradição italiana (curgetes, alcachofras, pimentas, cogumelos), arancini (arroz panado e frito com recheio de ragù bolognese) e ainda o frittatine (espaguete ou bucatini panados e fritos com recheio de bechamel, fiambre e ervilhas).
Se quiser também pode optar pelo serviço take-away.

Ibo Marisqueira
Aqui o marisco é rei pelo que optou-se por receitas simples, que enalteçam o sabor do ingrediente principal. E procurando privilegiar o marisco nacional. Assim na carta pode encontrar pratos tão conhecidos como a gamba do Algarve,  os casco de sapateira, camarão à Guilho, camarão Tigre (Moçambique), “puntillitas” ou ainda bivalves da Ria Formosa (amêijoa, conquilha, canilha, lingueirão e mexilhão).

Storik Tapas
Para quem gosta de um petisco e de uma boa conversa com os amigos este é o local ideal. Numa tasca reinventada e modernizada surgem então 100 propostas de petiscos. No entanto, para quem quiser algo mais “composto” a casa tem sempre cinco a sete opções de pratos. Uma ementa que conta com os queijos e enchidos de Joaquim Arnaud e cuja carta de vinhos é exclusiva da  João Portugal Ramos.

Peixaria da esquina
O novo restaurante de Vítor Sobral dá destaque ao peixe e marisco. O chef decidiu, por um lado, homenagear a riqueza da costa nacional e, simultaneamente, aproveitar algumas receitas herdadas da Cervejaria da Esquina. É o caso do casco de sapateira, as vieiras com maracujá, o prego de atum, o salame ou a tarte de caramelo. Para se destacar da concorrência Vitor Sobral apostou, na nova carta, nos pratos marinhados e nos chamados peixes curados. Sem esquecer, é claro, as sopas, as açordas, o arroz ou as cataplanas.

Artigo publicado, a 03 de Setembro de 2015, no OJE.

Anúncios