Aliança Velha à conquista de novos clientes

E Sérgio Marques, director de Marketing da Aliança Vinhos de Portugal,, da o exemplo de outras bebidas como o Gin e a Vodka que habitualmente não são bebidos no estado puro mas sim em preparados. Com os novos cocktails o executivo acredita que podem ser consumidos por quem nunca bebeu aguardente, não gostava do produto…

Esta é uma forma de combater a imagem “pesada” associada à aguardente. Uma bebida que deve ser consumida ao fim da refeição, num copo de “balão”, com um charuto…

Para divulgar esta iniciativa a Aliança Velha vai, a partir de Setembro, divulgar junto dos espaços os três cocktails assim como as várias possibilidades para usar a aguardente. Já para o consumidor final o principal veiculo de comunicação será o próprio guia, ligando a marca à onda positiva que se verifica (regresso ao que é nacional). Sendo se trata de um veículo de comunicação que não se perde no tempo. Isto sem esquecer as redes sociais, claro, relembra Sérgio Marques. Por outro lado o facto de o guia ser bilingue vai permitir apresentar a aguardente portuguesa a um outro tipo de público: os turistas.

Esta não é uma decisão que tem por base (exclusivamente) o imperativo de aumento de vendas porque, como refere Sérgio Marques, as mesmas registaram, pelo segundo ano consecutivo, crescimentos muito significativos.

“Guia Aliança Velha das Tascas de Lisboa”

O Guia foi apresentado na Tasca do Gordo e consiste na listagem das consideradas 25 melhores tascas de Lisboa.

Apresentado na versão bilingue (português e inglês) está disponível nas bancas, em garrafeiras especializadas e nas tascas representadas por 9,90 euros.

Artigo publicado, a 30 de Julho de 2015, no Opção Turismo.

Anúncios