É E(i)migrante? Esta empresa ajuda!

19 09 2014

e(i)migrante1Nasceu da necessidade de uma das duas sócias, Gilda Pereira, emigrada em Angola. Sempre que vinha a Portugal havia sempre mil e uma coisas a tratar, algumas já expiradas. Amigas de longa data a pouco e pouco delegou esses trabalhos nas mãos de Inês Saldo. Até que chegou um ponto em que, o volume de trabalho era tal, que equacionaram avançar com uma empresa.

Esteve três meses em teste, com presença nas redes sociais. O feedback foi imediato e positivo. Foi assim que nasceu a Ei! – Assessoria ao E(i)migrante. A ideia é simples. O objectivo é facilitar a vida dos emigrantes portugueses que deixam património e todo um sem número de questões a resolver (desde gestão de arrendamento, do correio, ajuda nas burocracias de entrada no outro país – vistos, transporte de animais de estimação…), aos imigrantes que chegam a Portugal e necessitam de tudo (procura de alojamento, escolha para as crianças….) e até mesmo aos viajantes que passam temporadas no nosso país. É o caso, por exemplo, de cidadãos africanos que se deslocam a Portugal para realizar tratamentos médicos.e(i)migrante2

A ideia é que oferecer um serviço personalizado. Ou seja, cada cliente terá um, e sempre o mesmo, gestor. Para tal a empresa tem uma equipa com quatro pessoas em permanência a que se junta uma rede de colaboradores, a trabalhar em regime de parceria. Gilda Pereira deu como exemplo o especialista em matéria consular. Tudo o que seja relacionado com esse tema é tratado com ele.

O investimento inicial foi de 50 mil euros, sendo que Gilda Pereira acredita que a empresa rapidamente (até ao final do ano) vai recuperar esse valor. O objectivo é, até Dezembro facturar cerca de 10 mil euros por mês. Valor que não parece irreal à empresária, dado que, nos três meses que apenas tiveram presença nas redes sociais facturaram uma média de três mil euros mensais. Ontem abriu oficialmente a primeira loja, na Avenida Visconde de Valmor, 20 D, em Lisboa.

e(i)migrante3Numa segunda fase pretende-se criar parcerias ao nível da hotelaria, dos desportos e da cultura, para poder oferecer pacotes especais. “Talvez no Verão de 2015” referiu Gilda Pereira. Na calha está igualmente a expansão para outras cidades, com o Porto no topo da lista. Depois, e a pensar mais nos imigrantes e nos viajantes, ter uma loja no Algarve. Embora inicialmente as duas sócias não tenham pensado nas ilhas o certo é que já tiveram convites para a realização de parcerias no Funchal.

E depois da conquista nacional… a expansão internacional. Com Angola a ser claramente o mercado seleccionado. Não só porque é o país para o qual Gilda Pereira irá regressar logo que o negócio em Portugal esteja estabilizado mas igualmente por ser um mercado com um peso importante no portefólio de cliente da Ei! (que neste momento ronda os 30). Para “segundas núpcias” ficam Londres e Maputo.

Alexandra Costa – 19Setembro2014@Opção Turismo

Artigo publicado no Opção Turismo, a 19 de Setembro de 2014.

Anúncios