WaterX Catamaran: há um novo espaço de luxo na cidade

WATER X 2556.jpgHá um novo espaço para eventos na capital portuguesa. Um espaço móvel, com capacidade para 150 pessoas e a possibilidade de ter dois ambientes distintos. Um espaço que pode ser alugado por três, oito horas, o dia todo, vários dias… que garante total privacidade e que significa fazer um evento num ambiente diferente. Um espaço que é … o primeiro iate de turismo em Portugal.
Foi hoje apresentado, com a presença da ministra da Agricultura e do Mar, Assunção Cristas e do secretário de Estado do Turismo, Adolfo Mesquita Nunes.

100% Português (desenvolvido e operado pela WaterX, criado pelo designer Tomás Costa Lima e construído nos Estaleiros de Vila Real de Santo António (Nautiber) o iate pertence à WaterX e foi a resposta da empresa a uma necessidade detectada há cerca de três anos. O ter um espaço que conjugasse os conceitos de um catamaran com o luxo de um iate. Que estivesse direccionado para o mercado corporativo, de eventos. Um simples cocktail, um jantar de gala, reuniões, casamentos…

Com um investimento de 720 mil euros (no barco, de um total de um milhão de euros), o WaterX Catamaran foi co-financiado pelo QREN, no âmbito do Programa Operacional Factores de Competitividade, em cerca de 468 mil euros.

WATER X 2515.jpgO barco, que criou três postos de trabalho directos e 10 indirectos, está direccionado para o mercado corporativo e para o cliente internacional. O cliente tradicional do mercado Lisboa: ingleses, franceses, alemães, espanhóis… embora os Estados Unidos, o Brasil, a América do Sul e Central, o Médio Oriente e alguns países asiáticos estejam a descobrir o nosso país.

Com apenas duas semanas de actividade já foram transportados cerca de 1500 passageiros, com a empresa a ter de 250 solicitações. O que leva a que João Meunier de Mendonça, diretor-geral do Grupo WaterX, grupo português especializado em eventos náuticos e detentor da WaterX, a estar optimista em relação aos resultados de 2013. Como revelou ao Opção Turismo a expectativa é a de terminar o ano com 300 mil euros facturados aumentando para 600 mil em 2015.

Para perceber o realismo do objectivo convém mencionar que o valor mínimo para que o navio saia do porto é de 3500 euros, por um passeio de três horas. Um valor que não é exagerado tendo em conta um grupo médio de 100 pessoas (sendo que a lotação é de 150). “É um produto acessível a todas as carteiras”. Para um passeio de oito horas o valor sobre para a ordem dos 5.700 euros, que contempla o aluguer do barco e tripulação. Tudo o resto (animação, catering, bar… ) são extras que o cliente contracta consoante a suas necessidade e a sua disponibilidade financeira.

WATER X 2562.jpgPor outras palavras em três semanas de trabalho já recuperam 15% do investimento feito. Esta iniciativa foi também a forma que a empresa encontrou de alargar o seu negócio. “Foi um virar de página na nossa empresa”. Até aqui a frota era constituída com pequenas embarcações (lotação média de 12 pessoas). Só para se ter uma ideia no ano passado a empresa transportou, segundo o diretor-geral do Grupo WaterX, 12 mil passageiros. “Só com este barco pretendemos transportar 20 mil”.

Mas a empresa não tenciona parar por aqui. Na calha estão mais duas embarcações, que deverão entrar em operação no próximo ano.

Artigo publicado no Opção Turismo, a 12 de Junho de 2014.

Anúncios