Hotel Tryp Lisboa Aeroporto: Vem comigo ver os aviões!

Aviação e Lisboa são os temas desta nova unidade encostada ao aeroporto.

A cerca de 150 metros do Aeroporto Internacional de Lisboa abriu aquele que é “o” hotel de aeroporto: o Tryp Lisboa Aeroporto. Trata-se de um hotel de quatro estrelas que abriu portas a 31 de dezembro de 2013, apesar da inauguração oficial estar marcada para dia 12 de março deste ano, dia da abertura da BTL.

A unidade tem a particularidade de estar decorada segundo dois temas: aviação e Lisboa. E isso nota-se mal se entra. No grande hall, inundado por luz natural, está em exposição, pendurado do teto, uma maqueta de um avião. Dos antigos, a recordar um pouco de história. E depois, Lisboa. Os seus símbolos, as suas personalidades, os seus bairros. Cada piso tem o nome de um bairro alfacinha. Alfama, Mouraria… A referência ao património da capital portuguesa está um pouco por todo o lado. Na alcatifa que cobre o chão dos corredores, no meio dos andares, das salas de reunião, do restaurante e, inclusivamente, na decoração dos quartos. Cada cabeceira é um hino a um marco emblemático de Lisboa. E depois há pequenos apontamentos que fazem toda a diferença. Quer seja o facto de as mesas-de-cabeceira e da escrivaninha serem antigas malas de viagem ou de, nas portas de vidro (fosco) da casa de banho, que têm escrito, em várias línguas, a seguinte frase: Eu estou no Tryp em Lisboa.

Com um amplo espaço dedicado a reuniões e eventos (são três andares, dois deles com capacidade para receber entre 450 a 500 pessoas em plateia – cada – num total de 1500 metros quadrados) poder-se-ia pensar que este é um hotel virado (quase) exclusivamente para o mercado corporate. Nada disso! A sua localização privilegiada permite-lhe uma abrangência única. Por um lado está a “dois passos” do aeroporto. Por outro está muito perto de centros de negócio e de locais de atratividade para os turistas. Sem esquecer quem quer simplesmente descansar entre voos. Esta foi uma novidade para os responsáveis, como explicou Paulo Sassetti, diretor-geral do hotel. Há quem simplesmente queira ter um local onde possa descansar e, eventualmente, se refrescar, antes de apanhar o voo. É certo que isto significa mais receitas. Novas receitas. Mas, por outro lado, requer uma afinação na logística da limpeza e check-in dos quartos.

168 quartos e 20 salas de reunião

No total o Tryp Lisboa Aeroporto disponibiliza 168 quartos, com preços a partir dos 79 euros, e 20 salas de reunião. Sendo que há tipologias para todos os gostos. Desde os standards, às suites juniores e terminando nos quase 160 metros quadrados da suite presidencial. Esta tem dois quartos (um deles com jacuzzi), duas salas e uma cozinha totalmente equipada. E, dada a proximidade com o aeroporto e a pensar nos clientes, o hotel disponibiliza o pequeno-almoço a partir das seis horas da manhã, com a possibilidade de se pedir um snack mais composto a partir das três da madrugada. Também a pensar neste tipo de cliente, muito específico, o hotel disponibiliza, em vários locais (por exemplo na receção e no plasma dos quartos) toda a informação sobre os vários voos.

Mas, um hotel é mais do que a soma dos quartos. Daí a escolha da decoração e dos nomes. Que se mantém norestaurante, apelidado de Rossio. Com a chancela do chef Paulo Anastácio promete continuar uma ação que o Tryp Oriente iniciou em 2013, as ações de gastronomia: 10 dias, 10 iguarias, 10 euros.

O ingrediente secreto do chef

Na apresentação à comunicação social houve oportunidade de provar algumas das propostas que o chefe está a preparar para a carta. Para entradas, nada melhor do que fazer um míni menu de degustação. Salada de camarão com gengibre e manga fresca; Alheira de caça com cebola roxa caramelizada e redução de balsâmico; e Chèvre gratinado com guisado de tomate e alecrim. Destas três é difícil dizer se a preferência incidiu no contraste entre a complexidade do queijo com a acidez do tomate ou, pelo contrário, na combinação da alheira com a cebola roxa. Em qualquer um deles ficou a sensação de “quero mais”. Seguiu-se um Duo de salmão fresco e fumado com migas de funcho, citronelle de ervas frescas e lima. Uma combinação interessante, e vencedora, dado que as migas conseguiram atenuar o sabor intenso do salmão. Para sobremesa nada melhor do que um Leite-creme de alecrim com salada de laranjas, hortelã e “ingrediente secreto do chef”. Que se veio a descobrir ser o azeite.

Estes são alguns dos pratos que poderão constar da ementa (ainda em construção). Com preços nada exagerados, o restaurante Rossio disponibiliza apontamentos interessantes. É o caso do Peito de frango recheado com legumes da estação no forno com molho de alecrim ou do Risotto de cogumelos do bosque e lascas de parmesão. Embora a ementa ainda esteja a ser “afinada” o almoço serviu para mostrar o que se pode esperar do restaurante Rossio. Uma comida descomplexada mas nem por isso sensaborona. Pelo contrário. Adivinham-se boas surpresas.

TRYP Lisboa Aeroporto

Artigo publicado no Escape, a 15 de Janeiro de 2013

*Este texto foi escrito nos termos do novo acordo ortográfico.

PS: “o seu a seu dono”. O fantástico título desta reportagem não é da minha autoria mas sim do editor Paulo Brilhante. Eu “apenas” escrevi o texto.

Anúncios