Penha Longa Resort: do novo bar de vodkas aos sabores italianos!

Os sabores outono/inverno na cozinha italiana, apresentam-se, neste espaço do Penha Longa Resort, unidade que também deu a conhecer o seu novíssimo bar de vodkas.

Bar de vodkas no restaurante Arola

Bar de vodkas no restaurante Arola

Numa altura em que as noites frias vieram para ficar sabe bem começar uma refeição com uns aperitivos bem “quentes”. Ou que aqueçam.

A pensar nisso, e em toda a socialização que antecede um jantar, de negócios ou lazer, o Penha Longa Resort, em Sintra, decidiu criar um bar de vodkas no restaurante Arola. A carta apresenta muito mais do que as já conhecidas vodkas. Tão ou mais interessantes são as criações do chef catalão, Sergi Arola, que dá nome a este espaço.

Na apresentação foram servidas algumas dessas criações. Para podermos apresentar nada melhor do que provar, certo? Pessoalmente adorei a Green Drop. Com xarope azul e menta é uma bebida fresca, onde quase não se sente o álcool da vodka. Para quem gosta de sabores mais doces (bem doces) a escolha só pode ser uma: Kiss Me. Nada mais, nada menos do que uma combinação de vodka, frutos vermelhos e xarope de morango. Servida num copo de shot. Para beber e pedir mais… Pode e deve acompanhar os cocktails com uma (ou mais) das tapas tradicionais ou com uma salada de caranguejo.

Jantar de sensações

Com o espírito alegre, e depois de conhecer algumas das variedades disponíveis é tempo de conhecer a nova carta de outono/inverno do restaurante Il Mercato, um espaço inaugurado em setembro de 2011. O facto de estar localizado no edifício central, a umas centenas de metros do Arola, permite que o ar fresco, diga-se frio, ajude a recuperar e a despertar o apetite. E isso era mesmo necessário. Afinal íamos provar o menu de degustação, preparado pelo chef Bruno Augusto. Um jantar de sensações, recheado de sabores mediterrânicos e acompanhado por bom vinho. Italiano, claro está.

Lamberti Rosé Vino Spumante. Esta foi a “bebida” escolhida para “casar” com as três entradas apresentadas. Um Aperitivi & Burratina com Pera Bêbada; um Carpaccio de Vieiras com Vinagrete Caviar e um Consommé de Rabo de Boi e Cogumelos. E se o primeiro prato surpreendeu pela diferença de texturas o segundo primou pela complexidade de sabores. A combinação das vieras com a salada foi acentuada pela utilização do vinagrete. Já o consommé, por tradição uma “sopa” mais leve, e aparentemente simples, foi tudo menos isso. Não só pelo sabor do “caldo” mas também pelo uso dos cogumelos, complementados pelas verduras. Que transformaram um “simples” consommé em algo extremamente rico.

Seguiu-se um Ravioli de Tomate Confitado com Espuma de Queijo de Cabra, acompanhado de um Campo Grande Orvieto Vino Bianco 2008. O que dizer de um prato onde os ingredientes são excelentes em separado mas fabulosos quando combinados? O ravioli estava preparado ao ponto. Nem demasiado cozinhado, nem demasiado cru. O sabor do tomate era suficientemente ácido para combinar na perfeição com o queijo.

A refeição foi sendo servida com o devido tempo. Dando oportunidade a todos para apreciar os pratos apresentados, devidamente explicados, assim como ao porquê do vinho escolhido, e para pôr a conversa em dia. Uma refeição para ser feita com tempo. E não à pressa.

Coelho em Duas Texturas

Com o estômago “mais ou menos” aconchegado é a vez de ser servido um Risotto de Açafrão com Lagostins Salteados, acompanhado por um Zano Vello Manzoni Vino Bianco 2011. Aqui, a doçura dos lagostins foi contrabalançada pela riqueza do açafrão, que deu um “gosto” diferente e mais complexo ao prato. Que nos fez querer mais. E quase que “rapar” o prato.

Para o prato principal havia duas hipóteses. Peixe (Robalo com Shiitake e Tomate Confitado) ou carne (Coelho em Duas Texturas), ambos servidos com Zanovello Merlot Vino Rosso 2007. Aconselhada pelo maître decidi-me pelo coelho. E em boa hora o fiz. Traduzido para miúdos, o Coelho em Duas Texturas era nada mais, nada menos, que um carré de coelho, com espinafres salteados e coelho confitado servido com puré de batata-doce. A carne, de tão tenra, quase que se desfazia na boca. O coelho confitado conferiu-lhe uma textura mais crocante, que jogou perfeitamente com o puré da batata-doce. A doçura do mesmo, por seu lado, serviu de contraste ao paladar do coelho. Em cada garfada sentia-se uma explosão de sabores. Contraste de texturas e de sabores. Que “casaram” muito bem com a acidez do vinho tinto escolhido.

Para limpar o palato e nos preparar para a sobremesa foi servido uma Pannacotta de Citrinos. Constituído por sorbets de citrinos e baunilha com mil-folhas de tomilho o seu objetivo era o de limpar o palato (e a mente) dos pratos anteriores e preparar-nos para os doces. Estes vieram na forma de um “Jardim de Inverno” com Praliné Amêndoa e Alperce. Ambos acompanhados por um Marsada Pellegrino Semi-Seco.

Menu de degustação

Que dizer das sobremesas? Que estavam deliciosas. Que qualquer uma delas é suficiente para satisfazer os mais exigentes. Que ambas apresentam uma mistura de sabores. De um lado o ácido cítrico e do outro a doçura da amêndoa e do alperce, complementada pelo praliné e pelo chocolate (branco).

Com o fim do jantar e feita a avaliação é difícil definir um prato favorito. Se é verdade que o Carpaccio de Vieras estava simplesmente delicioso, também é de destacar o contraste entre o Ravioli de tomate confitado com a espuma de queijo. Um prato que claramente não vai ser esquecido tão cedo, bem como o Coelho em Duas Texturas. Por todas estas razões, recomenda-se, aquando de uma visita ao Il Mercato, a escolha do menu de degustação. Todos os pratos descritos estão na lista e o menu custa 52 euros (bebidas não incluídas).

Restaurante Il Mercato
Penha Longa Resort
Estrada da Lagoa Azul – Sintra
Tel.: 219249011

*Este texto foi escrito nos termos do novo acordo ortográfico.

Artigo publicado no Escape, a 26 de Dezembro de 2013.

Anúncios