Funchal alternativo

Conheça a natureza marítima da ilha, quer seja numa caravela ou veleiro, a sua gastronomia e a sua arte

Funchal - MadeiraCaravelas, veleiros, catamarãs são algumas das novas formas de conhecer a ilha da Madeira. Sugerimos um programa alternativo para conhecer a ilha e passar um bom bocado. Descontraia e aprecie o que o mar tem de melhor para dar. Passeie numa réplica de uma caravela (a nau Santa Maria), navegue num veleiro, faça um cruzeiro até às ilhas Desertas, mergulhe, pesque ou vá ver as baleias e golfinhos. A ilha oferece uma diversidade de animais, fl ora e fauna suficiente para satisfazer até os mais exigentes.

Pelo meio conheça um pouco da história da madeira, visitando o centro histórico e as igrejas e museus. Suba ao monte e aprecie a vista panorâmica ou simplesmente descontraia num local relaxante. Prove o seu vinho e deguste das suas iguarias. Experimente pratos típicos e não deixe de beber (pelo menos) uma poncha.

Atreva-se a experimentar coisas novas, como a pizza de bolo-do-caco e a desfrutar da adrenalina da descida nos carros de cesto. E não deixe de visitar a Rua de Santa Maria, actualmente transformada numa galeria ao ar livre.

Mas, faça o que fizer, divirta-se!

A ILHA da Madeira e a sua capital, Funchal, têm atractivos para vários perfi s de turistas. Há quem vá para relaxar, para conhecer a natureza, para passear… A pensar nisso apresentamos-lhe um guia diferente, com actividades mais radicais.

Comece a manhã com um bom pequeno -almoço. Vai-lhe fazer falta. De seguida aproveite o (ainda) bom tempo e conheça a ilha pelo mar. Há vários tipos diferentes de passeios, quer utilizando catamarãs , barcos à vela ou até uma réplica de uma caravela. Se gosta de saber como os povos antigos, nomeadamente do século XV navegavam, e tem um estômago resistente, esta é a opção ideal. A nau Santa Maria (pertence a Rob Wijntje, um holandês a residir, à já alguns anos, no Funchal) todos os dias parte em descoberta da costa sul da ilha. Com 22 metros e três mastros o Santa Maria pode levar até 100 passageiros numa viagem de cerca de três horas. Durante o percurso os tripulantes explicam como era a vida naquele tempo e apontam os principais pontos da ilha. Aproveite e leve o biquíni porque há sempre tempo para uma paragem para ir a banhos.

Outra alternativa, também no mar, é a de ir observar baleias e golfinhos. A pouco mais de cinco quilómetros da costa o oceano Atlântico alcança uma profundidade de cinco mil metros. O que permite uma grande diversidade de animais. Facilmente poderá ver baleias Boreal e/ou Fin, assim como vários grupos de golfinhos e aves marítimas. Pode também optar por um cruzeiro às ilhas Desertas (grupo de três ilhas desabitadas localizadas a cerca de 24 quilómetros a sudoeste da ilha da Madeira). Actualmente reserva natural abriga as focas Monge e é um santuário para diversas aves.

Regressados a terra é altura de almoçar, ou pelo menos petiscar qualquer coisa. Uma opção é a de ficar pelo centro do Funchal e seleccionar um dos muitos restaurantes existentes. Seja qual for a sua escolha aproveite para provar as delícias da região. Sejam as lapas grelhadas, os filetes de pescada à Madeirense ou os bifes de atum. Outro prato irrecusável é a espetada de carne de novilho, acompanhada de milho frito e do típico bolo-do-caco com manteiga d’alho ou a carne de vinha-d’alhos. Para sobremesa pode optar por uma (ou mais) fruta ou experimentar os doces da região. Há o famoso bolo-de-mel, confeccionado com especiarias, frutos secos e mel de cana-de-açúcar e a queijada madeirense, feita com requeijão fresco.

Com o estômago aconchegado aproveite a tarde para conhecer a parte mais alta da cidade, o chamado Monte, onde poderá visitar pontos de interesse como: o Jardim Tropical Monte Palace/Museu de Pedras Semi-preciosas; o Jardim da Quinta do Monte; a Igreja da Nossa Senhora do Monte; o Túmulo do Último Imperador da Áustria, o Fontanário de Nossa Senhora do Monte, o Miradouro das Babosas, o Parque Municipal do Monte, o Caminho de Ferro do Monte e o Santuário da Nossa Senhora Da Paz. São apenas 15 minutos de uma viagem em que pode apreciar a panorâmica da cidade.

Aproveite para descobrir um outro lado do Funchal, conhecer um pouco da história da ilha e suas personalidades e apreciar a diversidade da natureza. Sem esquecer, o miradouro, onde consegue ter uma panorâmica sobre a ilha e a cidade do Funchal.

Para regressar ao centro da cidade nada melhor do que utilizar os típicos carros de cesto, cuja origem remonta a 1850. Actualmente o passeio dura “apenas” dois quilómetros, entre o Monte e o Livramento. Mas vele a pena.

Chegado ao centro do Funchal aproveite para passear e descobrir as várias lojinhas, as igrejas e os parques. Descontraia e percorra o passeio marítimo. E não deixe de visitar o Mercado dos Lavradores. Lá poderá encontrar não só o artesanato típico da Madeira como as
mil e uma flores existentes na ilha.

Aproveite a tarde, ou o final da noite, para percorrer a rua de Santa Maria (junto ao Mercado dos Lavradores). A razão? É actualmente uma galeria de arte ao ar livre. O projecto Portas Pintadas dinamizou e restaurou esta zona velha da cidade. O objectivo é que artistas convidados pintem as cerca de 200 portas existentes. Cada uma é diferente e a cada visita traz algo de novo. Ao longo da rua poderá
encontrar diversos restaurantes onde poderá jantar. Seja como for não pode terminar a noite sem provar uma bela de uma poncha, bebida típica da ilha.

Uma visita à Madeira não se faz num dia. Exige, pelo menos, um fim-de-semana. E há inúmeras escolhas de alojamento. Para quem gosta de requinte e exclusividade nada melhor do que optar pelo Reid’s Palace. Não só tem uma localização geográfica privilegiada, principalmente aquando dos espectáculos de fogo-de-artifício como promete, e cumpre, um serviço cinco estrelas. Outra opção
é o Vila Galé Santa Cruz. Localizado em Santa Cruz fica precisamente entre o Funchal e o aeroporto. Uma boa solução para quem prefere aproveitar ao máximo o tempo disponível.

Seja qual for a escolha não deixe de dar um mergulho no mar (ambos os hotéis têm “ligação” directa), de experimentar o “chá das cinco” no Reid’s Palace ou de fazer uma refeição no Inevitável Pasta Lounge (Vila Galé) onde poderá degustar algo tão invulgar como uma pizza feita com bolo-do-caco.

Artigo publicado no suplemento de viagens do Oje, a 19 de Outubro de 2012.

 

Anúncios